14/06/2010

Pico do Jabre


 

Olá Maia, gostaria de postar algumas fotos e uma matéria sobre uma viagem que fiz ao Pico do Jabre na cidade de Maturéia-PB no dia 11 de junho de 2010, sexta-feira passada.

Segue a matéria abaixo juntamente com as fotos em anexo:

A Unidade de Conservação Pico do Jabre foi oficialmente reconhecida em 19 de junho de 2002 pelo Decreto Estadual nº 23.060. O Pico do Jabre, que dá nome à unidade, tem 1.197m sendo o ponto culminante do estado da Paraíba e é o segundo ponto mais elevado do Nordeste Brasileiro. O parque localiza-se no município de Maturéia, no estado da Paraíba. O clima ameno, com temperaturas chegando a 9º C durante a noite nos meses mais frios (junho e julho), difere, e muito, do sertão e litoral paraibano. Essa situação invejável transforma o Pico do Jabre num ponto de referência para o ecoturismo na Paraíba. As atrações são muitas e o ambiente convida a caminhadas pelas matas e formações rochosas belíssimas.

As formações vegetais predominantes na área são de dois tipos. Um deles, que inclui espécies como o cedro, o pau-d`arco-amarelo e a barriguda são encrave da Mata Atlântica. No outro, típico de caatinga, encontra-se o angico, a jurema preta, o marmeleiro e o jatobá. Há ainda a zona de transição entre as duas.
Da fauna destacam-se entre os mamíferos, o mocó, o macaco-prego, o sagüi, a raposa e a onça-suçuarana. Também há registros de algumas dezenas de espécies de aves, e répteis como a jibóia e coral-verdadeira.

Diário de Bordo

Era uma sexta-feira, dia 11 de junho de 2010, após sair da aula na faculdade na cidade de Patos-PB pensei, por que não fazer um trajeto diferente na volta pra casa? Onde sempre nas sextas feiras volto pra minha cidade (Tuparetama-PE). Então não teve conversa, "arrumei a mala", abasteci a moto e segui viagem rumo ao Pico do Jabre. Eram aproximadamente 11 da manhã, segui viagem, tranqüila por sinal, sem contratempos, a não ser as paradas pra tirar algumas fotos no caminho. No município de Teixeira, ao invés de continuar em linha reta, sentido São José do Egito, virei à direita em um Posto de Fiscalização, onde restariam ainda mais 11km até Maturéia, desse trecho em diante, estrada ruim, muitos buracos, mas segui... Finalmente, cheguei em Maturéia, porém ainda não no alvo, o Pico do Jabre, mas já dava pra avistá-lo, com as antenas instaladas bem no alto, creio que seriam antenas de celulares, televisão... Perguntei a um morador que estava sentado na calçada (cena típica de interior) por onde era o caminho pra subir lá no alto, ele me ensinou e fui conferir, então, a surpresa... Mais 6km aproximadamente de estrada de barro, totalmente esburacada, mas era apenas mais uma barreira à ser ultrapassada, mas não era só isso, na final do caminho, um alívio à princípio, um trecho de estrada calçada no paralelepípedo, 1800 metros pra ser mais preciso, pensei que seria mais fácil de subir, mas que nada, ladeiras íngremes, piores que as de Olinda e Triunfo, quase uns 90º graus de inclinação, rsrsrs, mas enfim, cheguei... Lá de cima entendi por que é o ponto mais alto da Paraíba, dá pra avistar diversas cidades da Paraíba como, Patos, Teixeira, entre outras, uma das vistas mais exuberantes que já presenciei... Admirei a paisagem, tireis várias fotos e me preparei pra descer a Serra. Quando desci me deparei com mais uma dúvida, e aí, voltar pelo mesmo caminho? Não! É que tenho uma tia que mora em um vilajeiro chamado Santo Aleixo, à 12km de Maturéia, então resolvi fazer uma visita, já que nunca tinha ido lá. Quando cheguei, mais uma cena de interior, o pessoal nas calçadas, como se não tivessem nada pra fazer, e com uma cara de espanto quando me viram, com colete, todo escondido por entre as roupas, creio que pensavam que era um ladrão com capacete com a viseira escura e fechada, mas enfim, perguntei a uma senhora onde ficava a casa de minha tia, ela me ensinou, ainda desconfiada, mas encontrei a casa, foi uma surpresa para minha tia, pois eu tinha ido sem avisar, e uma surpresa para mim também, pois conheci diversos parentes que nem sabia que existiam. E o bom da história foi que cheguei mesmo na hora boa, almoço, rsrsrs, como não tinha almoçado ainda, não tive como recusar o convite, galinha de capoeira com pamonha, quem recusa? Conversa vai, conversa vem, mas era hora de partir, mas um probleminha surgiu, encontrar a moto envolta das crianças que à cercavam, com olhares curiosos, creio que nunca tiveram visto tal cena, algumas tirando fotos, fazendo diversas perguntas... Subi na moto e parti, rumo à Santa Terezinha-PE, pra passar na casa de um amigo, até lá, mais um trecho de estrada ruim. Passei na casa desse meu amigo mas ele não estava, então como já era tarde, continuei agora direto pra Tuparetama, mais uns 60km, agora sim, estrada melhor, pra compensar. Sem mais contratempos, cheguei em casa por volta das 5 da tarde, mas ainda com uma dúvida: "Qual a próxima viagem?"

Tony

Diretor Social do

No Limit Moto Grupo.

tony_to100tempo@hotmail.com

 

 

 



Publicidade: